Toque carinhoso Shantala

TOQUE DE 5 SEGUNDOS PODE COMUNICAR UMA EMOÇÃO

Esse artigo publicado em 12 de agosto de 2009 no Terra notícias e mais outros tantos lugares, mostra como o toque é um recurso importante de comunicação.

E por mais esse motivo, tocar nossos bebês é muito importante.
Através do toque, o bebê percebe todo nosso amor, transmitindo segurança e fortalecendo sua auto estima.

Toque de 5 segundos pode comunicar uma emoção, diz estudo

Pesquisadores descobriram evidências experimentais de que um toque pode significar mil palavras. Ou seja, um rápido contato físico pode expressar emoções – de modo silencioso, sutil e inequívoco. Cientistas liderados por Matthew J. Hertenstein, professor associado de psicologia da Universidade DePauw, recrutaram 248 alunos, que tocariam ou seriam tocados por um parceiro que já conheciam anteriormente tentando comunicar uma emoção específica: raiva, medo, felicidade, tristeza, repulsa, amor, gratidão ou compaixão.

A pessoa tocada era vendada e desconhecia o sexo do parceiro, instruído a tentar expressar uma das oito emoções através do toque, com ambos os participantes permanecendo em silêncio. Entre os participantes, 44 mulheres e 31 homens foram tocados por uma parceira, enquanto 25 homens e 24 mulheres foram tocados por um parceiro.

Depois, cada pessoa tocada recebia uma lista de oito emoções e escolhia aquela expressada pelo toque. Havia também uma nona escolha, “nenhum dos termos estão corretos”, para eliminar a possibilidade de forçar uma escolha de emoção quando nenhuma delas de fato havia sido sentida. Os parceiros foram instruídos a tocar em qualquer parte adequada do corpo e escolheram variadamente tocar cabeça, rosto, braços, mãos, ombros, tronco e costas.

O entendimento correto do toque ficou entre 50% e 78%, muito maior do que os 11% atribuídos ao acaso e comparável a índices vistos em estudos de emoção verbal e facial.

Os pesquisadores também gravaram um vocabulário complexo do toque – uma sacudida, uma esfregada, uma carícia ou um aperto, pequenas mudanças na quantidade de pressão aplicada, variações na brusquidão do toque, mudanças no ritmo com que os dedos se moviam pela pele e diferenças no local e duração do contato.

Tiffany Field, diretora do Instituto de Pesquisa do Toque da Universidade de Miami, ficou impressionada com o trabalho. “Essa informação é muito interessante e acrescenta algo à ciência da emoção e da comunicação.” Mas, ela continuou: “É improvável que usemos o toque como um meio de expressão com estranhos. Ele é reservado a interações íntimas.” Field não esteve envolvida no estudo, que aparecerá na edição de agosto do periódico Emotion.

Os participantes consistentemente escolheram certos tipos de toque para indicar emoções específicas. Várias vezes, ele expressaram medo, por exemplo, abraçando e apertando a pessoa sem se moverem, enquanto a compaixão exigiu abraço, carícia e esfregar das mãos.

Homens e mulheres foram igualmente competentes ao interpretar o toque, mas usaram diferentes ações para comunicar as emoções. Os homens raramente tocaram no rosto, e quando o fizeram, tinham a intenção de expressar raiva ou repulsa por mulheres e compaixão por outros homens. As mulheres, por outro lado, tocaram no rosto frequentemente para expressar raiva, tristeza e repulsa a ambos os sexos, e para comunicar medo e felicidade aos homens.

As razões evolucionárias para tal sistema de comunicação são desconhecidas, mas os autores sugerem que elas podem ter a mesma origem dos rituais sociais de cuidados com a aparência de outros primatas. Os autores reconhecem que seus dados foram limitados a uma amostra de americanos jovens e que diferenças culturais podem ter um papel importante.

Mesmo assim, Hertenstein disse: “Essas descobertas têm fortes implicações para o poder do toque. A maioria dos toques durou apenas cinco segundos, mas, nesses momentos fugazes, somos capazes de comunicar emoções distintas, assim como fazemos através do rosto. Esse é um sofisticado sistema distintivo de sinais que não conhecíamos anteriormente.”

Tradução: Amy Traduções
The New York Times

Fonte: http://noticias.terra.com.br/ciencia/interna/0,,OI3918188-EI8147,00-Toque+de+segundos+pode+comunicar+uma+emocao+diz+estudo.htmlToque carinhoso Shantala

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *